Pesquisar este blog

Carregando...

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

A Raposa e o Bode

A Raposa e o Bode


    Uma raposa meteu-se num poço fundo e não havia meios de sair de dentro. Um bode sedento aproximou-se e viu a raposa.

    - Amiga raposa - perguntou - que é que você faz aí?

    A raposa não quis passar por tola e respondeu:

    - Entrei aqui para beber esta água deliciosa! Como você é meu amigo, deixarei um pouco dela para você.

    O bode estava com tanta sede que nem refletiu; atirou-se dentro do poço. Imediatamente, a raposa saltou na garupa do bode, subiu pelos chifres e saiu do poço.

    - Ajude-me a sair! - gritou o bode.

    A raposa gritou para dentro do poço:

    - Se você tivesse miolo na cabeça, em vez de chifres, não teria saltado dentro do poço sem pensar em como sair!

Moral da História - "Antes de andar, olhe aonde vai."

Até a Próxima!!     

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Os Viajantes e a Árvore

Os Viajantes e a Árvore


    Dois viajantes, exaustos, depois caminharem sob o escaldante sol do meio dia, decidiram descansar à sombra de uma frondosa árvore. 

    Após
 deitarem-se debaixo daquela refrescante e oportuna sombra, um dos viajantes, ao reconhecer que tipo de árvore era aquela, disse para o outro: 

    -Como é inútil esse Plátano![1]
 Não produz nenhum fruto, e apenas serve para sujar o chão com suas folhas. 

    -Criaturas ingratas! - disse uma voz vindo da árvore. - 
Vocês estão aqui sob minha refrescante e acolhedora sombra, e ainda dizem que sou inútil e improdutiva?  

Moral da História: “Alguns homens menosprezam os melhores benefícios que recebem apenas porque nada tiveram que pagar por estes.”
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm

Até a Próxima!!

Os Ratos e as Doninhas

Os Ratos e as Doninhas



    As Doninhas e os Ratos estavam sempre em pé de guerra uns contra os outros. À cada batalha, as Doninhas sempre saíam vitoriosas, levando consigo um grande número de Ratos, que lhes serviam de refeição para o dia seguinte. Desesperados, os Ratos resolveram formar um conselho para tratar do assunto, e assim chegaram à conclusão, que os Ratos sempre levavam desvantagem porque não tinham um líder. 

    Definida a questão, em seguida, um grande número de generais e comandantes foram escolhidos dentre os mais eminentes e notórios Ratos da comunidade. Isso, evidentemente era motivo de orgulho para aqueles que, sendo mais bem posicionados socialmente, enxergavam ali uma clara forma de reconhecimento público desse status.

    Para diferenciá-los dos soldados comuns, quando estivessem na linha de frente, em meio ao campo de batalha, os novos líderes orgulhosamente ostentavam sobre suas cabeças, ornamentos e adereços feitos de penas ou palha. Então, depois de uma longa preparação da tropa de Ratos, após muitos estudos em táticas de guerrilha, eles enviaram um desafio para as Doninhas. 

    As Doninhas, claro, aceitaram o desafio com ânsia, uma vez que, "estar sempre de prontidão para a luta" era seu lema, especialmente quando estavam de olho numa refeição. Assim, imediatamente atacaram a brigada dos Ratos em grande número. Logo a linha de frente dos Ratos sucumbiu diante do ataque, e o restante da armada imediatamente bateu em retirada, numa fuga desesperada para se abrigarem em seus buracos. 

    Para diferenciá-los dos soldados comuns, quando estivessem na linha de frente, em meio ao campo de batalha, os novos líderes orgulhosamente ostentavam sobre suas cabeças, ornamentos e adereços feitos de penas ou palha. Então, depois de uma longa preparação da tropa de Ratos, após muitos estudos em táticas de guerrilha, eles enviaram um desafio para as Doninhas. 

    As Doninhas, claro, aceitaram o desafio com ânsia, uma vez que, "estar sempre de prontidão para a luta" era seu lema, especialmente quando estavam de olho numa refeição. Assim, imediatamente atacaram a brigada dos Ratos em grande número. Logo a linha de frente dos Ratos sucumbiu diante do ataque, e o restante da armada imediatamente bateu em retirada, numa fuga desesperada para se abrigarem em seus buracos. 

Moral da História - "A grandeza tem suas desvantagens."   
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm 

Até a Próxima!!

O Urso e as Abelhas

O Urso e as Abelhas


    Um Urso procurava por entre as árvores, pequenos frutos silvestres para sua refeição matinal, quando deu de cara com uma árvore caída, dentro da qual, um enxame de abelhas guardava seu precioso favo de mel. 

    O Urso, com bastante cuidado, começou a farejar em volta do tronco tentando descobrir se as abelhas estavam em casa. 

    Nesse exato momento, uma das abelhas estava voltando do campo, onde fora coletar néctar das flores, para levar à colméia, e deu de cara com o matreiro e curioso visitante. 

    Receosa do que pretendia o Urso fazer em seguida, ela voou até ele, deu-lhe uma ferroada e desapareceu no oco da árvore caída.

    O Urso, tomado de dor pela ferroada, ficou furioso, e incontrolável, pulou em cima do tronco com unhas e dentes, disposto a destruir o ninho das abelhas. Mas, isso apenas o fez provocar uma reação de toda colméia. 

    Assim, ao pobre Urso, só restou fugir o mais depressa que pode em direção a um pequeno lago, onde, depois de nele mergulhar e permanecer imerso, finalmente se pôs à salvo. 


Moral da História - "É mais sábio suportar uma simples provocação em silêncio, que despertar a fúria incontrolável de um inimigo mais poderoso."
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm

Até a Próxima!!

O Touro e a Cabra

O Touro e a Cabra


    Certa vez, um Touro, fugindo da perseguição de um feroz Leão, se escondeu numa caverna que os Pastores costumavam usar para abrigar seus rebanhos durante as tempestades ou à noite. 

    Ocorre que um dos animais, uma Cabra, que tinha ficado para trás, se achando dona do lugar, tão logo o Touro entrou na caverna, ainda distraído, extenuado e ainda se recuperando do tremendo susto que levara, aproveitando-se da situação, pelas costas, covardemente o atacou dando-lhe marradas com seus chifres. 

    Como o Leão ainda estava circulando em volta da entrada da gruta, o Touro teve que se submeter à aquela incompreensível agressão e injustificável insulto.

    Então ele disse em tom de alerta:

    - Você não acredita que estou me submetendo, sem reagir, a esse injusto e covarde tratamento porque tenho medo de você não é? Mas te prometo uma coisa, Quando o Leão for embora, aí sim, te colocarei no teu devido lugar, e acredite, disso tenho a mais absoluta certeza, te darei tamanha lição, que decerto, dela, jamais irás esquecer enquanto viveres.


Moral da História - "Maldade mais profunda e desumanidade igual não há, do que tirar vantagem sobre os outros, aproveitando-se de um momento de vulnerabilidade."
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm

Até a Próxima!! 

O Leão e o Asno

O Leão e o Asno

    
    Um Leão e um Asno combinaram que iriam caçar juntos. Em sua busca por presas, logo os caçadores viram um grupo de Cabras Selvagens que se esconderam numa caverna, e então resolveram traçar um plano para capturá-las. O Asno entraria na caverna e se encarregaria de atraí-las para fora. O Leão, claro, ficaria do lado de fora à espreita, pronto para atacá-las, tão logo de lá saíssem. 
 
    O plano funcionou com perfeição. Estando as Cabras tranquilas, distraídas e confiantes de que estavam em segurança no seu retiro, não perceberam que o Asno ali adentrara. O animal invasor, de surpresa, fez um barulho tão assustador, pulando e zurrando, com toda força que lhe era possível dispor, que as Cabras, tomadas de pânico, não tiveram outra reação senão correrem para todos os lados assustadas.

     E logo, um pouco recuperadas do susto, conseguiram encontrar a saída do confinamento, e julgando que estariam mais seguras do lado de fora, saíram dali correndo em disparada, apenas para caírem indefesas nas garras do Leão que, de prontidão, as aguardava à entrada da caverna. 

    Orgulhoso do seu feito, o Asno saiu para fora da caverna e disse: 

    - Você viu como coloquei todas à correr?

    Ao que o Leão respondeu: 

    - Sim, sem dúvida, e se eu não conhecesse você tão bem, certamente que faria a mesma coisa que elas.

Moral da História - "O fanfarrão com seu vozeirão e exibicionismo, não é capaz de impressionar aqueles que já o conhecem."
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm

Até a Próxima!! 

As Duas Cabras

As Duas Cabras


    Duas Cabras brincavam alegremente sobre as pedras, na parte mais elevada de um vale montanhoso. Ocorre que se encontravam separadas, uma da outra, por um abismo, em cujo fundo corria um caudaloso rio que descia das montanhas. 

    O tronco de uma árvore caída era o único e estreito meio de cruzar de um lado ao outro do despenhadeiro, e nem mesmo dois pequenos esquilos eram capazes de cruzá-lo ao mesmo tempo, com segurança. 

    Aquele estreito e precário caminho era capaz de amedrontar mesmo o mais bravo dos pretendentes à travessia, Exceto aquelas Cabras.


    Mas, o orgulho de cada uma delas, não permitiria que uma permanecesse diante da outra, sem que isso não representasse uma afronta aos seus domínios, mesmo estando separadas pela funda garganta. 

    Então resolveram, ao mesmo tempo, atravessarem o estreito caminho, para brigarem entre si, com o propósito de decidir qual delas deveria permanecer naquele local. E no meio da travessia as duas se encontraram, e começaram a se agredir mutuamente com seus poderosos chifres. 

    Desse modo, firmes na decisão de levar adiante o forte desejo pessoal de dominação, nenhuma das duas mostrava disposição em ceder caminho à adversária. Assim, pouco tempo depois, acabaram por cair na profunda grota, e logo foram arrastadas pela forte correnteza do rio. 

Moral da História - "É melhor abrir mão do orgulho do que chamar para si a desgraça através da vaidade e teimosia."
Fonte: http://sitededicas.ne10.uol.com.br/cfab.htm

Até a Próxima!!